Ação foi considerada racista | Se achasse que fosse racismo, não faria, diz modelo da Dove

ReproduçãoModelo alega que vídeo curto divulgado nas redes era apenas parte de comercial que tinha objetivo justamente de promover a diversidade

Em artigo ao jornal britânico The Guardian, a modelo Lola Ogunyemi, que dá rosto a comercial da Dove acusado de racismo, disse que ficou surpresa com a repercussão da campanha e que não imaginava que ela teria essa conotação quando aceitou o trabalho.

Nigeriana nascida em Londres e criada no estado norte-americana de Atlanta, Lola diz que se sentiu honrada ao receber o convite e saber da intenção do comercial. “Ter a oportunidade de representar minhas irmãs de pele negra em uma marca global de beleza me pareceu o modo perfeito de lembrar ao mundo que nós estamos aqui, nós somos importantes, nós temos valor”, lembra.

“Se eu tivesse o menor conhecimento que seria retratada como inferior, ou como o ‘antes’ de uma filmagem ‘antes e depois’, eu teria sido a primeira a dizer um enfático ‘não’. Eu teria (in)felizmente deixado o set de gravação. É algo que vai contra tudo que eu defendo”, escreveu.

A modelo conta também que teve uma “experiência positiva” com a produção do comercial de Dove e passou um “tempo ótimo” no set. Reafirmando a alegação da companhia (veja mais abaixo), a modelo diz que “todas as mulheres no set entendiam o conceito e o objetivo geral (da campanha): usar nossas diferenças para destacar o fato de que todas as peles merecem gentileza”.

“Eu lembro de todos nós animados com a ideia de vestir camisetas (cor) ‘nude’ e se tornando a outra. Nós não tínhamos certeza como ficaria a edição final, nem quais de nós realmente estaríamos no vídeo, mas todos pareciam bem-dispostos durante as filmagens, inclusive eu mesma”, relata.

A modelo relata ainda que a versão completa do comercial, veiculada na TV, deixa a mensagem da campanha muito mais alta e clara, pois mostra “diferentes raças e idades”. Lola diz que a narrativa foi reproduzida fora de contexto. Veja a versão reduzida com três mulheres divulgada no Facebook e que causou toda a repercussão negativa:

“Enquanto eu concordo com a resposta de Dove de certeiramente se desculpar por qualquer ofensa causada, eles poderiam também ter defendido sua visão criativa e sua escolha de me incluir, uma mulher negra, como face de sua campanha. Eu não sou uma mera vítima silenciosa de uma campanha de beleza errada. Eu sou forte, sou bonita e eu não vou ser apagada”, conclui

Resposta da empresa

Vídeo de 15 segundos em que a modelo negra de despe e aparece em seguida uma modelo branca gerou tremendo mal-estar nas redes sociais. Na sequência, a modelo branca também retira sua camiseta e surge uma modelo aparentemente indiana.

A campanha de sabonete da Dove foi retirada do ar, a empresa se desculpou e tentou explicar o propósito inicial da propaganda:

“Como parte da campanha para produtos de lavagem corporal da Dove, um videoclipe de três segundos postado na nossa página do Facebook dos EUA mostrava três mulheres de diferentes etnias, cada uma removendo uma camiseta para revelar a próxima mulher. O curto vídeo tinha a intenção de transmitir que a loção corporal de Dove é para todas as mulheres e ser uma celebração da diversidade, mas nós erramos. Ela (a campanha) não representou a diversidade da real beleza que é algo pela qual a Dove é apaixonada e central em nossas crenças, algo que não deveria ter acontecido. Nós removemos a publicação e não não publicamos nenhum outro conteúdo relacionado. Isso não deveria ter acontecido e estamos reavaliando nossos processos internos de criação e aprovação de conteúdo para evitar que nós cometamos esse tipo de erro no futuro. Nos desculpamos profunda e sinceramente pela ofensa que isso causou e não perdoamos nenhuma atividade ou imagens que insultem qualquer público”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*