Campinas reduz em 51% manutenção de pontos de ônibus em 2017

Pontos de ônibus de Campinas acumulam pichações após queda nas manutenções

Pontos de ônibus de Campinas acumulam pichações após queda nas manutenções

Campinas (SP) reduziu em 51% o número de ordens de serviço para a manutenção dos pontos de ônibus do município. De acordo com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), entre janeiro e setembro deste ano foram executados 568 pedidos, enquanto no mesmo período do ano passado o índice foi de 1,1 mil. Uma das justificativas da administração é a suspensão da licitação para terceirizar os abrigos da cidade.

Em julho, a Prefeitura de Campinas suspendeu a licitação para a troca dos pontos de ônibus do município. De acordo com a administração municipal, as duas empresas interessadas solicitaram, no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, que o edital fosse interrompido para o Executivo responder alguns questionamentos realizados durante o certame. Em janeiro, o processo já havia sido cancelado porque nenhuma companhia se interessou pela concorrência.

“Nesse momento nós estamos priorizando situações que exijam que isso seja feito. As pequenas alterações, a gente não está fazendo porque estamos aguardando essa licitação, que está em andamento e deve ser resolvida nos próximos meses”, disse o secretário de Transporte, Carlos José Barreiro. O custo da manutenção nos pontos de ônibus é de R$ 2 milhões por ano.

A EPTV, afiliada da TV Globo, percorreu alguns pontos de ônibus de Campinas e verificou abrigos pichados, com propagandas irregulares, pinturas desgastadas e muita sujeira. A má condição das estruturas preocupa a população. “Hoje o que a gente tem com relação a ponto de ônibus na cidade é precária. Tem que ser melhorado sim”, afirmou o diretor de criação, Rafael Melo.

Pontos de ônibus em Campinas estão degradados (Foto: Reprodução/EPTV)Pontos de ônibus em Campinas estão degradados (Foto: Reprodução/EPTV)

Pontos de ônibus em Campinas estão degradados (Foto: Reprodução/EPTV)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*