Conselho Regional de Enfermagem de MT repudia privatização do novo Pronto-Socorro

pronto-socorro, ps

pronto-socorro, ps Gazeta Digital

O Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso (Coren-MT) vem a público manifestar seu apoio ao Conselho Regional de Psicologia  de Mato Grosso (CRP-MT) e a todos os movimentos sociais organizados contra o processo de privatização do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, que estava em franco andamento até a última reunião extraordinária do Conselho Municipal de Saúde, ocorrida em 9 de novembro, que teve como pauta o modelo de gestão daquela unidade de saúde, prevendo a realização de gestão por meio da Empresa Cuiabana de Saúde Pública.

 

Na ocasião, o CRP pediu vistas do processo, conseguindo mais dez dias para a análise do documento, que de outra forma teria sido aprovado, sem sequer ter havido o devido debate com a sociedade. A atitude louvável do CRP pede para que os movimentos sociais e toda a sociedade exijam a discussão da proposta, tendo em vista outras experiências desastrosas de gestão por meio de OSS no segmento da saúde.

 

Apoiamos também a realização de reunião com o Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso, para quem o debate será levado, inserindo a academia na discussão sobre os rumos da saúde pública em nosso município.

 

O Coren-MT se posiciona contra mais esta tentativa de privatização do sistema de saúde da capital, que prejudicará uma população já desassistida, considerando que tal atitude por parte do governo municipal se coaduna com as ondas neoconservadoras, entreguistas e privatizantes que estão se tornando tendência nas administrações brasileiras e latino-americanas.

 

Os movimentos sociais organizados exigem que esta pauta seja aberta ao debate com todos os segmentos interessados, incluindo as representações dos profissionais de saúde, associações de portadores de doenças, instituições do terceiro setor etc., dentro do princípio democrático do diálogo.

 

A liberdade de expressão é também um destes princípios que foi atacado durante a citada reunião do Conselho Municipal de Saúde, na qual alguns  conselheiros e diretoria questionaram o direito da conselheira do CRP em fazer o pedido de vistas, o qual está previsto no regimento interno.

 

Seguramente falamos em nome de todos os profissionais de saúde, que é parte do contingente diretamente atingido pela precarização da estrutura de serviços, que interfere nas condições de trabalho, prejudicando a qualidade da assistência.

 

Diante disso, exigimos, juntamente aos movimentos sociais organizados a discussão da proposta da atual gestão municipal para a saúde, abrindo o debate para toda a sociedade, o qual não deve ser restrito à escolha de uma empresa, mas sim ao modelo de serviços de saúde que queremos para o futuro do povo cuiabano.

 

Conselheiros do Coren-MT

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: