Estado admite erro e retira Valinhos da lista de cidades com surto de sarampo em SP


Atualização feita na última terça (13) e usada como base para o Ministério da Saúde incluía o município do interior com um caso confirmado da doença. Prefeitura fez varredura na cidade e notificou estado e Ministério pedindo correção. Valinhos mantém vacinação contra sarampo conforme Calendário Nacional de Vacinação, já que não tem casos confirmados da doença.
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo admitiu nesta quinta-feira (15) que errou ao incluir Valinhos (SP) na lista de cidades com surto de sarampo e que vai retirar o município da relação. O motivo do erro ainda não foi informado. A prefeitura disse que notificou nesta quinta o estado e o Ministério da Saúde para que os órgãos façam a correção. “O Centro de Vigilância Epidemiológica esclarece que acionou o Ministério da Saúde para retificação e exclusão de Valinhos. O monitoramento epidemiológico é contínuo e sujeito a alterações no decorrer da investigação”, diz a nota do estado.
A última atualização sobre os casos positivos da doença feita pelo estado ocorreu na terça (13), quando também foi divulgada pelo Ministério a nova relação de municípios com recomendação da vacina para bebês a partir de 6 meses, e Valinhos constava na lista com uma ocorrência de sarampo. A Secretaria Municipal de Saúde realizou uma varredura e constatou que não havia nenhuma confirmação. A cidade tem atualmente oito casos da doença sendo investigados e não registra positivos desde 2007. Veja quem deve se vacinar contra o sarampo
Tire dúvidas sobre a vacina disponível no SUS
Entenda o que é ‘vacina de bloqueio’ e ‘vacina de reforço’
Em nota enviada ao G1 nesta quinta, a prefeitura ressalta que o erro partiu do estado. Afirma que está acompanhando de forma atenta, e com preocupação, o desenrolar do surto de sarampo em SP. “O Município tem feito tudo que está previsto nos protocolos da área de saúde para enfrentar a situação e trabalha para garantir o acesso da população às informações verdadeiras e também às orientações corretas em relação ao sarampo, como as formas de prevenção e a vacinação. Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) possuem doses da vacina para os moradores que ainda não forma imunizados. Menores de 29 anos devem tomar duas doses da vacina, enquanto que os maiores de 29 anos devem tomar uma única dose. Quem já tomou as doses não precisa se vacinar novamente”, diz o texto.
Mais informações podem ser obtidas na Vigilância Epidemiológica de Valinhos pelo telefone (19) 3829-5676.
Prefeitura de Valinhos afirma que cidade não tem casos confirmados de sarampo.
Cláudio Barbisan
O que diz o Ministério da Saúde
O Ministério disse que ainda não recebeu a notificação de Valinhos solicitando a retirada do nome da cidade da lista de localidades com surto de sarampo. Informou que, ao receber, dará um posicionamento sobre a atualização dos municípios na relação.
O órgão federal esclareceu que a situação epidemiológica do país é atualizada semanalmente, com base nas informações passadas pelos estados. “Enquanto o surto de sarampo está ativo, é natural que casos sejam reavaliados, sendo dinâmico o cenário epidemiológico do sarampo, estando todos os casos sujeitos à alterações”.
O sarampo é um vírus que sobrevive no ambiente por até duas horas e tem alta capacidade de contágio. O Brasil tem 1.388 casos de sarampo em 2019; 95% deles estão em São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Paraná.
Sarampo na região
A região de Campinas (SP) tem 16 casos confirmados da doença este ano. Veja os principais sintomas e as formas de contágio no quadro abaixo:
Americana: 1 caso
Campinas: 8 casos
Hortolândia: 1 caso
Indaiatuba: 3 casos
Jaguariúna: 1 caso
Sumaré: 1 caso
Vinhedo: 1 caso
As cidades incluídas na lista da Secretaria de Estado da Saúde e no Ministério da Saúde devem disponibilizar a “dose zero”, uma vacina extra que é aplicada em crianças de 6 a 11 meses de vida. Ela não exclui a criança de tomar as outras doses obrigatórias – aos 12 e 15 meses. Até a última atualização, a lista trazia Campinas, Hortolândia, Indaiatuba e Sumaré. A tríplice viral, que também previne contra rubéola e caxumba, também deve ser aplicada, com 15 dias de antecedência ao deslocamento, em bebês que vão viajar para qualquer um dos locais listados.
A Prefeitura de Americana informou que, por enquanto, “a Secretaria Estadual da Saúde não recomendou ao município a ampliação da vacinação contra o sarampo para crianças maiores de 6 meses. Nesse caso, a rede básica de saúde continua vacinando conforme o calendário oficial, que é para crianças a partir de 1 ano de idade”. Americana tem mais três casos suspeitos, sendo um adulto e duas crianças de 6 e 9 anos, e foi feito bloqueio vacinal.
Entenda o que é sarampo, quais os sintomas, como é o tratamento e quem deve se vacinar Infografia: Karina Almeida/G1
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: