Explosões nos únicos três bancos de Pilar do Sul deixam cidade ‘com pouco dinheiro’

Clientes de duas agências só conseguem sacar em cidades vizinhas. Lotéricas têm filas para pagamentos de boletos.

Pilar do Sul (SP) tem “pouco dinheiro” depois das explosões nas únicas três agências bancárias da cidade. Os ataques ocorreram há duas semanas, na madrugada do domingo 23 de abril. O motivo é que na cidade funcionam somente o Banco Bradesco e as lotéricas, correspondentes da Caixa Econômica Federal. Com a situação, clientes de dois bancos estão impossibilitados de sacar na cidade, podendo pegar dinheiro somente nas cidades vizinhas Salto de Pirapora (SP) e São Miguel Arcanjo (SP).

O Banco do Brasil e o Banco Santander, as duas agências fechadas na cidade, afirmaram que não há previsão para a volta do atendimento aos clientes. O Banco do Brasil deu resposta sobre o assunto nesta terça-feira (2), enquanto que o Banco Santander deu a informação em 24 de abril, não dando nova resposta nesta terça-feira.

Um efeito da “falta de dinheiro” na cidade é esperado por comerciantes no Dia das Mães. Segundo eles, a previsão é que com a redução de dinheiro em circulação as vendas sejam afetadas. A empresária Marisa Tavares de Carvalho, dona de uma loja de roupas explica: “O pessoal ainda tem o costume de comprar a crediário e depois virem e pagar a dinheiro. O cartão, por grande parte das pessoas, acaba não sendo utilizado. Nem acho que parte da população tem acesso ao cartão.”

Outro transtorno dos comerciantes é pagar os salários de funcionários. Alguns fazem transações bancárias e outros pagam em cheque. Pagar em dinheiro não é uma boa opção por questão de segurança, confirma o dono de padaria Lúcio Yassuda. “Como não tem nenhum dos bancos trabalhando com dinheiro vai ficar bem difícil. Agora estou pensando, bolando alguma coisa para eles não ficarem sem dinheiro e eu também sem ficar com um montante de dinheiro físico comigo, guardado”, comenta.

Quem tem conta na Caixa Econômica Federal pode procurar uma das lotéricas da cidade, onde é permitido o saque de até R$ 300. Porém, o cliente deve se preparar para as filas. Isso porque os clientes dos outros dois bancos procuram as lotéricas para pagar contas de até R$ 700. O produtor rural Joaquim Rodrigues Félix é um exemplo de quem precisou pegar fila na lotérica por falta de opção. “Não é fácil. Perdi a tarde toda e tenho um monte de coisa para fazer. Se tivesse o banco com certeza não estaria aqui”, diz.

A auxiliar administrativa Adriane Aparecida Rodrigues, funcionária de uma das lotéricas da cidade, conta que a previsão é de aumento no movimento este mês. “O começo de mês é recebimento de conta, no nosso caso o IPTU [Imposto Predial e Territorial Urbano] da cidade vence agora em 10 de maio. Os bancos explodidos seriam responsáveis por receber, então o pessoal provavelmente vai vir tudo para cá. Vai ficar bem mais movimentado, a tendência é aumentar”, ressalta.

Agora, para quem tem cheque para depositar em uma das agências, o jeito é esperar ou pedir o pagamento em dinheiro. É o caso do fretista Geraldo Francisco Vasconcelos. “A gente trabalha, pega cheque de terceiro, vem e deposita. Agora, o cara não cobriu o cheque e eu preciso do cheque para liberar na conta. E não tem como ser em outra agência, tem que ser aqui”, lamenta.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*