Ginásio da Brigada Militar é parcialmente demolido

Os trabalhos de demolição do Ginásio da Brigada Militar, em Porto Alegre, foram  parcialmente concluídos na tarde de domingo. Para realizar a parte mais complicada relativa a remoção das paredes laterais do ginásio chamadas de “oitões”, foi necessário bloquear duas faixas de circulação de veículos na rua Silva Só, no trecho entre a avenida Ipiranga e a rua Felipe de Oliveira, no sentido Sul/Norte. Apesar da previsão de concluir os trabalhos no final de semana, as arquibancadas e o restante da estrutura serão demolidos ao longo da semana, mas, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), não será necessário o bloqueio da via.

A estrutura foi parcialmente destruída durante temporal ocorrido em outubro de 2017. Os trabalhos ocorreram no sábado e no domingo com movimentação de máquinas no local. Também foi fechada para o trânsito a ponte sobre o arroio Dilúvio que faz a ligação entre a ruas São Manoel e Silva Só. A medida, de acordo com a EPTC, teve o objetivo de garantir a segurança de motoristas e pedestres, já que pedaços de entulhos caíram sobre a rua Silva Só durante a derrubada da parede. 

Na avenida Ipiranga, o fluxo de veículos seguiu normalmente tanto para quem estava no sentido Centro/bairro quanto no bairro para o Centro Histórico de Porto Alegre. Para quem precisou pegar a rua Silva Só para ir na direção Sul/Norte, os agentes de trânsito da EPTC orientavam os motoristas a utilizar a avenida Lucas de Oliveira ou a rua João Guimarães para chegar até o bairro Moinhos de Vento. A demolição do antigo ginásio chamou a atenção de motoristas e de diversas pessoas que passavam pelo local. Muita gente aproveitou para realizar fotos e gravar com telefones celulares os trabalhadores da empresa Remov Demolidora trabalhando no interior da estrutura. Sem o telhado que foi arrancado por um temporal, em outubro de 2017, o espaço foi oferecido como permuta, pelo governo do Estado, para a construção de um presídio. 

O empreendimento que ocupará o terreno onde hoje funcionou o ginásio da Brigada Militar ainda não foi divulgado pela empresa Verdi Sistemas Construtivos. A área foi repassada pelo governo do Estado em troca da construção de um presídio em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana de Porto Alegre. A obra da casa prisional é avaliada em R$ 44,2 milhões e terá 8,8 mil metros quadrados. O ginásio da polícia militar funcionou por quase 55 anos. Foi inaugurado no dia 29 de agosto de 1963 pelo então governador Ildo Meneghetti e sediou os Jogos Mundiais Universitários. Em outubro de 2017, foi parcialmente destruído por um forte temporal que se abateu sobre a Capital. Nos últimos anos, o vinha sendo utilizado pela Escola de Educação Física da Brigada Militar.

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: