Maioria dos bairros volta a ter água, mas normalização será ‘ao longo do dia’ em Sumaré, diz BRK


Concessionária afirma que abastecimento foi retomado em 90% dos bairros que tiveram o fornecimento afetado por obras. Moradores da região do Nova Veneza reclamam. Moradores formaram fila para encher galões na bica do bairro Maria Antônia, em Sumaré
Johnny Inselsperger/EPTV
A concessionária de água de Sumaré (SP), BRK Ambiental, informou na manhã deste sábado (3) que o abastecimento foi retomado em 90% dos bairros afetados pelas obras de ampliação da captação no Rio Atibaia. Para a região do Nova Veneza, no entanto, a normalização deve ocorrer ao longo do dia. Segundo a BRK, desde que a captação do Rio Atibaia foi retomada, a estação de tratamento de água atua com vazão máxima. “Na região de Nova Veneza o abastecimento também já está sendo normalizado e o processo será concluído ao longo deste sábado”. Moradores do bairro Maria Antônia formaram uma fila na manhã deste sábado para encher galões em uma bica no local. A EPTV, afiliada da TV Globo, recebeu reclamações de que ainda falta água em bairros como Maria Antônia, Nova Veneza, Jardim Volobueff, ÃNgelo Tomazin, Jardim Manchester, Jardim Amélia e Parque das Nações. A concessionária informou que, após a retomada da captação, a normalização do sistema ocorre em etapas. A água segue para a ETA II, estação de tratamento de água no Parque Itália, onde ocorre o tratamento e direcionamento para os quatro reservatórios internos da estação. Em seguida, ela é distribuída para a população, o que já está ocorrendo. Na sexta (2), a Justiça determinou que o fornecimento fosse retomado de forma imediata no locais em que a distribuição foi interrompida para obras. A concessionária informou que havia restabelecido a captação e que a normalização integral iria ocorrer até o fim da manhã deste sábado. Já sobre a decisão judicial, a BRK diz que ainda que não foi notificada.
As obras realizadas pela BRK ocorrem para ampliação da retirada de água no Rio Atibaia e deixaram cerca de 200 mil pessoas em 100 bairros do município sem abastecimento. Como a situação se estendeu, a prefeitura notificou a concessionária para que retomasse a distribuição. Fila de moradores do Maria Antônia, em Sumaré, para conseguir água em bico do bairro
Johnny Inselsperger/EPTV
A decisão O juiz da 2ª Vara Cível de Sumaré Andre Gonçalves Fernandes estabeleceu que o fornecimento deve ocorrer ainda que de forma emergencial, por meio de veículos, em quantidade suficiente para evitar prejuízo e sem custo adicional a população atingida. Ele estipula multa diária de R$ 50 mil por descumprimento. De acordo com o magistrado, a empresa terá 15 dias, a partir de notificação, para contestar a decisão provisória.

%d blogueiros gostam disto: