Manifestação na sexta em SP: MTST protesta contra prisão de militantes durante greve geral

  • Peter Leone/Futura Press/Estadão Conteúdo

    Integrantes do MTST realizam um ato em frente ao 63º DP, na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo

    Integrantes do MTST realizam um ato em frente ao 63º DP, na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo

Um grupo de cerca de 50 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) protesta na manhã desta terça-feira, 2, em frente ao 63º Distrito Policial (DP), na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo. No local, estão presos três militantes do movimento que participaram de manifestações durante a greve geral convocada por centrais sindicais na última sexta-feira, dia 28 de abril.

Os presos são o pedreiro Luciano Antônio Firmino, de 41 anos, o motorista Ricardo Santos, de 35, e o frentista Juraci Santos, de 57, que participaram de um dos primeiros das dezenas de protestos com queima de pneus na sexta-feira. Eles foram indiciados pela Polícia Civil por tentativa de incêndio, explosão e incitação ao crime.

No sábado, a juíza Marcela Filus Coelho converteu as prisões em flagrante em preventivas, sob o argumento de defesa da ordem pública. O MTST afirma que eles são os únicos detidos durante as manifestações, em todo o País, que ainda permanecem na cadeia. Os advogados do grupo alegam motivos políticos para a prisão e encaminham pedido de habeas corpus.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*