Mato Grosso tem a gasolina mais cara da região Centro-Oeste

Combustível / Álcool / Gasolina / Valor / Custo / Posto / postos

Combustível / Álcool / Gasolina / Valor / Custo / Posto / postos Gazeta Digital

Um levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, de janeiro a junho de 2019, apontou que Mato Grosso teve a gasolina com o preço mais alto entre os estados da região Centro-Oeste – em média, o litro foi vendido a R$ 4,706 no período. Os dados foram obtidos por meio do registro das transações realizadas com o cartão de abastecimento da própria empresa em cerca de 20 mil estabelecimentos credenciados por todo o Brasil.   

 

Leia também – Aneel anuncia bandeira tarifária vermelha para agosto

 

Em Mato Grosso, a pesquisa registrou, em janeiro, a média de R$ 4,657. No mês de maio teve uma leve alta e o litro foi vendido a R$ 4,776. Já em junho a gasolina teve o valor reduzido para R$ 4,706. 

 

Os consumidores mato-grossenses, já acostumados com a variação de preços e buscam se adaptar aos altos e baixos do mercado.  

 

Para o taxista Lindomar Araújo, 45, que atua em Cuiabá e região, a saída é abastecer com etanol. “A diferença de valor entre a gasolina e o etanol não compensa. O álcool chega a fazer uma média de consumo de seis quilômetros por litro contra nove na gasolina. Portanto, para mim não é viável. O preço é bem pesado para nós que dependemos desse insumo para trabalhar. O ganho do trabalhador cai muito”.  

 

Há 20 anos trabalhando como moto-fretista, Márcio da Silva, 41, roda com sua motocicleta cerca de mil quilômetros por semana e reclama dos altos custos. “Há algumas encontrei gasolina por R$ 3,95 a R$ 3,97. Agora já ultrapassou os R$ 4,40 por litro. Com isso, o custo da prestação de serviço de transporte eleva e a renda cai”, destaca.   

 

Para ele que não sistema flex em sua moto, a saída é pesquisar. “Mesmo assim, o álcool também teve uma alta grande, nos últimos meses encontrávamos o litro abaixo de R$ 2. Agora, já ultrapassou R$ 2,49. Pesa só para o lado dos mais fracos”, lamenta o autônomo, que também precisa arcar com os custos de manutenção do veículo.   

 

De passagem por Cuiabá, o engenheiro Rogério Penteado, 49, também dá preferência pelo etanol quando está na cidade. A gasolina é a opção para rodar nas estradas e rodovias, já que ele mora em Araguarças, em Goiás – estado que figurou o terceiro lugar no ranking, com o litro comercializado, em média, a R$ 4,644 em junho. 

 

 Viajando constantemente a trabalho por Mato Grosso, o engenheiro ressalta que percebe a diferença de valores entre os estados. “Como estou em viagem, hoje, abasteci com gasolina. Mas, geralmente, fico no etanol –  que apresenta custo benefício melhor, ainda mais em época da safra, quando o custo de produção da cana-de-açúcar diminui, refletindo no preço final combustível.”  

 

Ele afirma ainda que o combustível faz parte do orçamento familiar e é preciso ficar atento. “É um item importante, além do preço por litro, temos que nos atentarmos para a qualidade, procedência e confiança nos postos. Eu trabalho com projeto de licenciamento, é sei da importância de pesquisar para não ter danos no veículo.”  

 

Ainda da região Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul está em segundo lugar com o valor mais alto – R$ 4,674 e o Distrito Federal tem a gasolina com o preço médio mais baixo – R$ 4,393.  

 

Cenário nacional  

Com preços médios de R$ 4,185 e R$ 4,259, respectivamente, Santa Catarina e São Paulo têm o litro da gasolina comum mais barato do país.  

 

O Acre e Rio de Janeiro são os estados com o combustível mais caro – R$ 5,115 e R$ 5,015,  respectivamente.  

 

Entre as regiões do país, a Norte é a que tem a gasolina mais cara (R$ 4,748, em média), e o Sul, a mais barata (R$ 4,385).   

 

No Nordeste, Pernambuco apresenta o preço médio mais baixo (R$ 4,585). Já Sergipe tem o valor mais alto (R$ 4,763).  

 

No Sul, a gasolina comum mais cara é encontrada no Rio Grande do Sul (R$ 4,563,  em média). Santa Catarina é o Estado da região – e do país – com o combustível mais barato (R$ 4,185).  

 

No Norte, o Acre tem o preço mais alto não só da região, como também do Brasil (R$ 5,115). O valor médio mais baixo foi verificado em Roraima (R$ 4,521).  

 

ESTADO

PREÇO (R$)

Acre

5,115

Rio de Janeiro

5,015

Minas Gerais

4,87

Pará

4,868

Rondônia

4,772

Sergipe

4,763

Tocantins

4,755

Alagoas

4,729

Mato Grosso

4,706

Piauí

4,677

Espírito Santo

4,676

Bahia

4,674

Mato Grosso do Sul

4,674

Maranhão

4,661

Rio Grande do Norte

4,648

Goiás

4,644

Amazonas

4,628

Ceará

4,619

Paraíba

4,597

Pernambuco

4,585

Amapá

4,577

Rio Grande do Sul

4,563

Roraima

4,521

Paraná

4,409

Distrito Federal

4,393

São Paulo

4,259

Santa Catarina

4,185

Fonte: ValeCard

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: