Na Turquia, o choro de uma mulher inspirou ação que salva tartarugas

A praia de Iztuzu, na província de Mugla na Turquia, tornou-se uma referência na proteção de tartarugas marinhas no Mediterrâneo

Uma história que começou há 30 anos, com uma mulher se emocionando ao ver uma tartaruga-cabeçuda botando ovos nas areias da praia

June Haimoff, hoje com 95 anos, diz ainda lembrar que lágrimas vieram aos seus olhos quando viu a cena. “Daquele dia em diante, comecei a coletar toda informação que podia sobre elas”, conta”. Hoje, June virou Capitã June e dá nome a uma fundação que trabalha para a proteção das tartarugas-cabeçuda

Em 1987, Capitã June e um grupo de amigos lutaram para impedir a construção de um hotel que colocaria em risco o
terreno fértil das tartarugas na praia. 

Desde então, a praia permaneceu sob proteção. Toda a construção é proibida, assim como a iluminação artificial durante a noite, quando os turistas são mantidos longe e as tartarugas vêm em terra para depositar seus ovos.

A tartaruga-cabeçuda é uma espécie que vive no Mar Mediterrâneo há 95 mil anos. Com cerca de 100 cm de carapaça e 80 kg de peso quando adulto, elas podem viver até 65 anos. Elas acasalam em águas rasas, próximo das praias arenosas onde vão cavar tocas e enterrar os ovos na areia

Uma parte do trabalho da Fundação Capitã June é demarcar os ninhos na praia, de forma que os visitantes não pisem sobre eles. A costa de Dalyan, é um dos principais locais de desova na Turquia. Há vários outros, sendo o principal deles Zakynthos, na Grécia, e algumas praias na Líbia

Voluntários da fundação também recolhem os ovos das tartarugas em locais considerados de risco

Os ovos recolhidos são levados para locais seguros na praia, de forma que seu desenvolvimento possa ser acompanhado

Os filhotes precisam chegar ao mar, ao qual são atraídos pelo brilho da lua e das estrelas. Por isso, uma das demandas dos protetores é que não haja qualquer tipo de iluminação artificial na praia. Se eles não o fizerem antes do sol nascer, eles secam ou são comidos por predadores. 

O Centro de Resgate da Tartaruga Marinha organizado pela fundação também recebe tartarugas encontradas doentes ou machucadas

As tartarugas-cabeludas que recebem tratamento no Centro de Resgate são cuidadas dentro de áreas cercadas no mar da praia de Iztuzu. Yakup Kaska, presidente do Centro de Resgate, diz que as principais ameaças à especie na idade adulta são ser atropelada por barcos a motor, engolir ou ficar presas em linhas de pesca ou comer pedaços de plástico transparente, que elas confundem com águas-marinhas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: