Operação da Polícia Civil do MT prende empresário de Indaiatuba por suspeita de fraudes no ICMS

Empresário de Indaiatuba é preso em operação da Polícia Civil contra sonegação de impostos

Empresário de Indaiatuba é preso em operação da Polícia Civil contra sonegação de impostos

Um empresário de Indaiatuba (SP) foi preso na manhã desta quinta-feira (7), em uma operação da Polícia Civil do Mato Grosso, que investiga sonegação de R$ 140 milhões no Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com a corporação, eles são suspeitos de fraudes na comercialização de grãos. Além do município de São Paulo, foram cumpridos mandados em cinco cidades do MT.

O empresário Theo Marlon Medina foi preso em casa no bairro Jardim São Francisco. Segundo a Polícia Civil, também foram cumpridos mandados de busca na residência. Ele é sócio de uma empresa de cereais que, de acordo com a “Operação Crédito Podre”, é uma das principais responsáveis pelas fraudes. Ele vai embarcar para Cuiabá (MT) ainda na tarde desta quinta-feira. O advogado dele não foi encontrado.

“Durante a investigação, foi apurado que ele tem envolvimento com toda essa fraude, por isso foi representada a prisão preventiva dele. A empresa é uma das maiores integrantes da organização, mas depois nós vamos confirmar o tamanho da sonegação que foi feita por essa empresa”, disse o delegado Sylvio do Vale Ferreira.

Segundo a Polícia Civil, são cumpridos 16 mandados de prisão preventiva, 34 ordens de busca e apreensão e 9 conduções coercitivas, expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá. Os mandados são cumpridos nas cidades Cuiabá, Várzea Grande, Campo Verde, Rondonópolis, Sorriso, Barra do Garças e Indaiatuba.

A operação

As investigações da Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) apuram fraudes na comercialização interestadual de grãos (milho, algodão, feijão, soja, arroz, milho, sorgo, painço, capim, girassol e niger), com sonegação de mais de R$ 140 milhões em ICMS.

Conforme a Polícia Civil, o inquérito policial foi instaurado no dia 9 de fevereiro deste ano, após informações encaminhadas pela equipe técnica da Secretaria de Estado de Fazenda (Defaz), para apurar suposta organização criminosa.

A equipe descobriu que o grupo usava documentos falsos e articulava a comercialização de grãos. Os suspeitos sonegavam ICMS, gerando enorme dano aos cofres públicos.

Empresário foi preso na manhã desta quinta em Indaiatuba (Foto: Reprodução/EPTV)Empresário foi preso na manhã desta quinta em Indaiatuba (Foto: Reprodução/EPTV)

Empresário foi preso na manhã desta quinta em Indaiatuba (Foto: Reprodução/EPTV)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*