Orientação vocacional estimula autoconhecimento para buscar carreira; veja dicas

Psicóloga e coach de Campinas afirma que a pessoa precisa ter consciência de si mesma para fazer a melhor escolha.

A dúvida sobre qual carreira escolher pode ser solucionada com estímulos para “sair da zona de conforto”. Para a psicóloga e coach de Campinas (SP) Carla Beck, que atua na área de orientação vocacional, o passo que vai direcionar essa escolha é muito pessoal. O estudante ou profissional que deseja mudar de profissão deve ter consciência do que tem de melhor e se sentir responsável pela sua decisão.

“Tomar a decisão a partir dessa consciência de si mesma, do que ela tem de repertório, do que ela tem de inteligência, do que ela tem de conhecimento. E o que ela necessita buscar, o que ela necessita rever em relação a isso”, ressalta a coach sobre o caminho para escolher uma profissão.

O assunto foi o tema do quadro “Sua Chance”, da EPTV, afiliada da TV Globo, nesta segunda-feira (1).

A orientação vocacional é feita, em média, em 12 sessões. Por meio de conversas, testes e percepções, a profissional proporciona um trabalho de autoconhecimento e de identificação do estudante ou profissional com o mercado.

“Você decidiu, você está dando esse caminho. É 100% de satisfação”, afirma Carla.

O estudante do ensino médio João Paulo Debrot, de Campinas, viu que precisava de ajuda para decidir qual carreira escolher. Após a orientação, ficou satisfeito com o resultado e agora diz que conseguirá ter mais foco. Ele vai prestar vestibular para o curso de engenharia de controle e automação.

“Eu acho muito importante procurar a ajuda dos pais em casa, conversar com quem já é mais experiente, procurar ajuda na escola. Tem que ir atrás, porque não é uma decisão fácil”, conta o estudante.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*