Protestos em Gaza deixam 26 palestinos e 2 repórteres feridos

Pelo menos 26 pessoas ficaram feridas

Pelo menos 26 pessoas ficaram feridas ABED AL HASHLAMOUN/ EFE/ EPA – 2.8.2019

Pelo menos 26 palestinos, entre eles dois fotojornalistas, ficaram feridos por disparos do exército de Israel durante os protestos realizados semanalmente na Faixa de Gaza, junto à cerca de separação, segundo informou o Ministério da Saúde do enclave.

Além disso, outras 25 pessoas receberam atendimento médico, embora não tenham sido atingidas pelos disparos israelenses, de acordo com o Ministério.

Um dos profissionais de imprensa feridos, Hatem Omar, trabalha para a agência de notícias chinesa Xinhua e cobria os protestos, que já duram quase um ano e meio.

Centenas de pessoas se aproximaram hoje da divisa no leste da faixa, agitando bandeiras palestinas e gritando contra Israel.

Os manifestantes pediam apoio aos palestinos cujas casas foram demolidas no final do mês passado em Wadi Humus, um bairro adjacente a Jerusalém Oriental, mas situado na área controlada pela Autoridade Palestina, o que afetou cerca de 350 famílias.

Testemunhas indicaram que palestinos armados dispararam contra um drone israelense que estava filmando os manifestantes e conseguiram derrubá-lo.

Suhial al Hindi, do alto escalão do Hamas, participou dos protestos e disse que a Câmara Unida Militar para a Resistência, que abrange a ala armada de várias facções palestinas, incluindo a sua, “está pronta para responder a qualquer ataque da ocupação israelense”.

O Ministério de Saúde de Gaza informou que pelo menos 307 palestinos morreram e 17 mil ficram feridos por disparos israelenses desde o começo das chamadas Marchas do Retorno, em março do ano passado.

Israel considera que o Hamas utiliza estes protestos para infiltrar militantes e cometer atentados.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: