Saiba quais são as principais queixas durante a Black Friday

Os preços mais baixos durante a Black Friday são uma tentação ir às compras. Os descontos chamam a atenção e fazem muitos consumidores comprarem por impulso. Evite transtornos e saiba quais são as principais queixas, segundo o Procon-SP

Descontando o desconto – mudança de preço ao finalizar a compra (carrinho) Os sites que anunciam descontos, mas cobram o valor integral no momento do pagamento também é um problema. Os consumidores devem conferir antes de concluir a compra para não perder dinheiro. O Procon tem uma lista de vendedores on-line que devem ser evitados, vale uma consulta antes da Black Friday.

Site intermitente, congestionado ou bloqueado – preços baixos e boas condições de pagamento podem chamar a atenção de muitos internautas e gerar um grande número de acessos simultâneos. Algumas páginas podem não comportar o aumento no número clientes e parar de funcionar. O Procon afirma que o preço anunciado deve ser respeitado pelo vendedor e quem não conseguir concluir a compra pode abrir uma reclamação

Tem, mas está faltando – fazer um anúncio para atrair
o consumidor e não ter o produto para vender é uma situação recorrente. Quem se
sentir prejudicado pode registrar uma reclamação no Procon

Tudo pela metade do dobro – um problema muito comum é
encontrar anúncios de produtos com desconto que custavam o mesmo preço antes da
Black Friday. O Procon monitora os preços de cerca de 100 produtos por 60 dias
para identificar tentativas de enganar o consumidor.

#PROCONSPNABLACKFRIDAY – o Procon criou uma hashtag
específica para os internautas reclamarem de fraudes durante a Black Friday.
Além de ser uma maneira mais simples de registrar uma queixa também pode ser
usado para consultar a reputação de promoções e empresas

Plantão de Black Friday – quem preferir registrar uma
reclamação mais formal, pode usar o formulário do próprio site do Procon-SP ou
ligar para o número 151.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: