‘Senhora da morte’ do México morre em confronto com a polícia

Traficante usava redes sociais

Traficante usava redes sociais Reprodução Instagram

A traficante mexicana María Guadalupe López Esquivel, conhecida como “La Catrina” (personagem do Dia dos Mortos que é o esqueleto de uma dama da alta sociedade, a “Senhora dos Mortos”), que ostentava armas de ouro nas redes sociais, morreu na última sexta-feira (10) após um confronto com a polícia.

A criminosa tinha o apelido por causa de uma tatuagem de “La Catrina” que tinha na coxa direita. E foi essa marca que ajudou na identificação do corpo. Ela morreu enquanto era levada para o hospital após levar um tiro no pescoço durante tiroteio com policiais no estado de Michoacán, na região central do México.

Carreira no crime

López Esquivel, 21, chamava a atenção nas redes sociais por suas fotos com armas douradas, mas também era procurada pela polícia pela violência com que tratava rivais e homens das forças de segurança.

Leia também: As mil vidas de ‘El Chapo’, o traficante mais famoso do México

Ela era uma das líderes do cartel Nueva Generación (“Nova Geração”) de Jalisco, estado na costa oeste do México, no qual estava desde 2017, e chegou a comandar um dos grupos de sicarios (pistoleiros) da organização.

Em outubro do ano passado, ela participou do ataque a um comboio da polícia que deixou 13 policiais mortos e 9 feridos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: