Unicamp: polícia conclui inquérito e indicia suspeito de pichar ameaça de chacina e símbolo nazista em institutos


Crime ocorreu em agosto e apuração foi concluída na quinta-feira (13), segundo Secretaria de Segurança. Rapaz foi indiciado pelo crime de dano ao patrimônio e responderá em liberdade. Imagens mostram ato de vandalismo em biblioteca na Unicamp
O suspeito de ter pichado ameaças de chacina e símbolo nazista em institutos da Unicamp, em agosto, foi indiciado pela Polícia Civil por dano ao patrimônio público. O inquérito foi concluído na quinta-feira (13) e, segundo informações confirmadas pela Secretaria de Segurança (SSP) à EPTV, ele responderá em liberdade, uma vez que trata-se de crime com menor potencial ofensivo.
O rapaz de 30 anos foi aluno em três cursos da universidade ao longo de dez anos e jubilado no segundo semestre de 2017 de Engenharia de Computação, de acordo com o reitor, Marcelo Knobel. A SSP informou que laudos comprovaram que móveis e computadores foram danificados durante o ato de vandalismo nos institutos de Estudos da Linguagem (IEL), de Geociências, de Física, além da Biblioteca Central. Todos os prédios ficam próximos e o rapaz, que não tinha bolsa, nunca foi atendido pelo serviço de apoio psiquiátrico da Unicamp, informou a reitoria da universidade.
Suspeito de pichar áreas da Unicamp foi flagrado por câmeras
Reprodução/Unicamp
Histórico
De acordo com a Unicamp, o suspeito ingressou como aluno em 2008 para cursar estatística. Em seguida, desistiu da carreira e, no ano seguinte, foi aprovado para estudar Matemática Aplicada e Computacional. O rapaz também deixou esta vaga e, em 2011, começou a realizar o último curso registrado, mas no ano passado foi desligado por causa do fim do prazo para concluir a graduação.
Entre as mensagens deixadas pelo autor à época estavam referências ao massacre de Columbine (EUA), em 1999, símbolos da suástica nazista e menções a um suposta “chacina”.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

%d blogueiros gostam disto: