Vítimas de acidente com aeronave durante voo de instrução são veladas em cemitérios de Campinas e Cosmópolis

Piloto e aluno morreram após queda de avião bimotor em área de mata em Itapira (SP). Corpos foram resgatados no sábado e Cenipa investiga caso.

As duas vítimas do acidente com um avião bimotor em uma área de mata em Itapira (SP) começaram a ser veladas na madrugada deste domingo (30). A aeronave estava em um voo de instrução quando houve a queda e a causa ainda é desconhecida.

O piloto Bruno Henrique, de 28 anos, começou a ser velado às 4h30 no Cemitério Municipal de Cosmópolis. A previsão é de que o sepultamento dele ocorra por volta das 16h30.

Já o aluno Thiago Zvolanek, 22 anos, está sendo velado desde a madrugada no Cemitério da Saudade, em Campinas (SP). De acordo com a Setec, o corpo deve ser levado às 13h para o crematório, mas a família ainda espera uma autorização judicial para o procedimento.

O avião saiu na sexta-feira (28) do Aeroclube de Campinas (SP), no Aeroporto dos Amarais, e os destroços foram encontrados quase 16 horas depois, no sábado, em uma área rural de Itapira. Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 9h foram localizados os corpos das vítimas no local.

De acordo com o Márcio Doná, responsável pela comunicação do Aeroclube de Campinas, a aeronave modelo PA-30 perdeu contato com a base na tarde de sexta-feira, por volta das 16h. Após um aviso da aeronáutica sobre um alerta de impacto no avião, iniciaram-se as buscas.

Durante a noite, as autoridades locais suspenderam as atividades, mas uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) com uma ferramenta de visão noturna foi deslocada para auxiliar na procura. Os corpos, entretanto, só foram localizados na tarde de sábado pelo Corpo de Bombeiros.

Doná destacou que a aeronave estava com toda a documentação em dia e havia passado por uma vistoria em março. O piloto de outro avião do aeroclube, que havia feito o mesmo trajeto minutos antes, teria alertado o instrutor sobre a presença de muitos urubus na região.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou à EPTV, afiliada da TV Globo, que a situação para voo e manutenção da aeronave estavam dia, uma vez que o certificado de aeronavegabilidade só venceria em novembro de 2020. Já a inspeção anual de manutenção teria validade até outubro.

Em nota, o Aeroclube lamentou o acidente e afirmou que está oferecendo toda a assistência necessária e possível aos familiares e amigos das vítimas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*