Voluntários se juntam para reformar casa de desempregada

Gazeta Digital

Gazeta Digital Gazeta Digital

Um grupo de voluntários, formado por engenheiros, arquitetos e designer de interiores, entre outros profissionais, se juntou para realizar o sonho da ex-merendeira Maria Aparecida Lima Duarte, mais conhecida como dona Cida – uma senhora de 53 anos de idade que batalhou desde a adolescência para ajudar seus pais no sustento da sua família – de ter sua casa própria pronta.

 

Natural de Poxoréo, Cida mora em Cuiabá desde os 13 anos onde trabalhou como babá para criar os seus 4 filhos, sendo uma adotiva com atraso mental. Trabalhou também como merendeira, porém atualmente está desempregada. “Meu sonho é ter minha cozinha toda branquinha para fazer o que eu mais gosto de fazer, que é cozinhar”, declara. 

 

O desejo de ter a obra da casa finalizada chegou bem perto de se realizar em 2001, entretanto, enfrentou uma grande enchente que ocasionou na perda de 100% de sua casa e móveis. A cozinheira, recentemente, também perdeu a mãe, da qual cuidava em tempo integral devido ao Alzheimer, e na mesma semana uma das netas, decorrente a um problema cardíaco. 

 

O início 

A designer de interiores Andréa Luiza Lourenço Dias Guerra, 25 anos, conta que a ideia surgiu ao constatar que a dona Cida apresentava quadro clínico de depressão, devido às perdas recentes dos familiares.

 

“É cientificamente comprovado que o externo pode influenciar positivamente ou negativamente na saúde mental e física de uma pessoa. E sabendo o quanto ela sentia a falta de um lar que atendesse às suas necessidades e de seus familiares, de forma digna, resolvi encabeçar o projeto e buscar parceiros que pudessem torná-lo concreto”, explica. 

 

Andréia ressalta que decidiu convidar amigas arquitetas para se juntarem a essa ação solidária, que permitiria viabilizar o projeto arquitetônico e iniciar a arrecadação de fundos, doações e parcerias para a obra. 

 

“A proporção começou a aumentar exponencialmente e se juntaram a nós novos profissionais e parceiros (que podem ser conhecidos no perfil do Instagram) com vontade latente de usar seus ofícios em prol da solidariedade. Dessa forma, pouco a pouco estamos conseguindo arrecadar materiais e caminhar com o projeto, porém sabemos que ainda temos muito pela frente”.

 

O grupo acredita que o projeto será o primeiro de muitas obras solidárias que irão fazer. “Acreditamos que a ação irá mudar a vida da dona Cida, a de quem convive com ela e, é claro, a de todos nós que estamos juntos nesta empreitada. E por que não estender essa ação a outras famílias em um futuro próximo?”

 

O projeto

Todo o projeto de reforma será gerenciado pelos idealizadores e parceiros. A ação social precisa ainda da ajuda de empreiteiros para que possa ser realizada a mão de obra, seja ela como forma de doação de serviços, seja através de fundos que serão angariados para este fim.

 

“Assim, vencida esta etapa, o projeto arquitetônico realizado pelos profissionais participantes será colocado em execução com o carinho e a alma de cada colaborador. Após a finalização da obra, será feita a montagem dos ambientes com as doações arrecadadas e, por fim, a comemoração final com todos os envolvidos”, destaca. 

 

Como ajudar

A casa inacabada e que aos poucos começa a ganhar formas com as doações fica na rua Diadema, n. 150, no Bairro Novo Horizonte, em Cuiabá.

 

Há várias vertentes possíveis para quem quiser ajudar na empreitada da obra solidária. A primeira é a “Vakinha Online”, pela qual a pessoa pode doar qualquer quantia pelo site de forma segura – Clique Aqui e faça sua doação! 

 

Além disso, são aceitas doações de materiais de construção, móveis em bom estado e parcerias/apoios de empresas e profissionais que possam agregar de alguma forma com o projeto. 

 

“Importante ressaltar que toda ajuda para divulgar é sempre bem-vinda. Aproveito a oportunidade para evidenciar que estamos à disposição para sugestões e demais parcerias”, declara a designer. 

 

Novas ações estão sendo pensadas para arrecadar recursos. “Uma delas será a realização de uma rifa solidária, com alguns parceiros da gastronomia que será vendida em breve. Logo depois, faremos um almoço solidário e a própria dona Cida irá cozinhar”.

 

Andréa convida a sociedade cuiabana para fazer parte do projeto, seja com força de trabalho, seja com ideias ou contribuição financeira.

 

“Nossas portas estão abertas a todos que queiram fazer parte dessa corrente do bem, cheia de amor ao próximo e pela busca incessante por uma sociedade menos segregada e mais justa”, finaliza.

 

Para conhecer o projeto e ficar por dentro de todas as etapas do projeto basta seguir o perfil no Instagram. Para contribuir com a Vakinha Online – Clique Aqui.        

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: